79 anos de um sonho partilhado

Nasci há 79 anos, do sonho de homens excecionais que acreditaram, numa altura em que mal existiam carros nos Açores, que o primeiro passo a dar para unir os açorianos entre si era dar asas ao desejo de ligar as ilhas dos Açores por ar.

Corria o ano de 1941 quando se registou o meu nascimento, mas estou em crer que a minha existência começou a planar na mente dos meus criadores algum tempo antes, sendo já tema de conversa nos primeiros anos de 1900. Seja como for, nos anos quarenta do século XX, cinco pioneiros haviam de criar a Sociedade Açoriana de Estudos Aéreos, mais tarde Sociedade Açoriana de Transportes Aéreos que, face ao registo, passou a ser a primeira companhia aérea portuguesa.

Podemos imaginar que aos cinco fundadores juntaram-se outras pessoas extraordinárias que faziam parte das suas vidas. Um sonhador-empreendedor consegue ser difícil de se acompanhar. Dorme, come, passeia, vive e conta o seu sonho mil vezes por dia. Quem fica à sua volta é inevitavelmente contagiado. Imagino as longas conversas à volta da mesa de jantar; imagino-os a palmilhar a baixa de cidade de Ponta Delgada, entre os “Mercadores” e as Portas da Cidade; até parece que os vejo, a pretexto de apanhar bons ares, investir em longas caminhadas à volta da emblemática Lagoa das Furnas.

A 21 de agosto de 2020 comemoram-se os 79 anos do meu registo oficial. E insisto em relembrar esta data porque muito devo aos meus fundadores. Não me refiro apenas ao facto de me terem dado asas para voar, mas, principalmente, por nos terem contagiado com um espírito de missão muito próprio, muito nosso: quebrar o isolamento do Arquipélago dos Açores e dos seus habitantes continua a ser o que nos move.

E agora peço que me desculpem o facto de ter passado a falar em nome coletivo. Em abono da verdade, represento uma coletividade, um conjunto de pessoas positivamente marcadas pela teimosia e persistência dos nossos fundadores. Hoje, continuamos a fazer parte dos que ainda sentem arrepios e um orgulho teimoso ao ver um avião da SATA a levantar voo para transportar os nossos e os que não são nossos, mas que fazemos questão de tratar como se fossem, enquanto estiverem nesta nossa terra. 

Quanta experiência e sabedoria pode ser acumulada em 79 anos? Muita, dirão alguns. Nunca a suficiente, dirão outros. Acreditamos que a aprendizagem não tem limites. Na nossa história existiram muitos momentos de conquistas, de sucesso e de reconhecimento. Existiram, também, momentos de obstáculos, dificuldades e de grandes desafios. Percebemos que todos foram vividos com proximidade familiar pela nossa comunidade.

Voar e fazer com que outros possam voar connosco foi, desde 1941, um sonho nosso. Hoje, é a nossa realidade, que se cumpre diariamente com toda a paixão e dedicação. E, se temos o privilégio de ver transformado o nosso sonho no nosso trabalho, é graças aos passageiros que nos escolhem para voar, aos parceiros que estão ao nosso lado, aos que connosco travam batalhas, e graças a si, que nos acompanhou em cada linha desta nossa história.