Sintra, a única

Sintra é única. Única na sua atmosfera que desafia a imaginação e incita a descobrir maravilhas e segredos. Palácios românticos, quintas misteriosas, ruas acolhedoras e cenários de escritores e poetas.

Chegados ao centro da vila, património mundial da Unesco, o Palácio da Vila, com as suas chaminés cónicas imponentes, domina a praça e o nosso olhar. Este palácio serviu de casa à família real portuguesa até ao fim da monarquia. Da primitiva residência dos governadores mouros à atualidade, diferentes intervenções reais nele deixaram as suas marcas. É de destacar a impressionante coleção de utensílios de cozinha em cobre estanhado, organizados de forma exímia, bem como as inúmeras salas, ricas em adornos de inspiração manuelina.

Sintra possui um microclima, geralmente de atmosfera mais húmida do que nas suas áreas limítrofes: chove mais e a temperatura é mais amena em qual- quer época do ano. Os ares da serra e a quantidade de vegetação aconselham a levar sempre para as caminhadas uma peça de roupa adicional que proteja do frio e da chuva, bem como calçado apropriado. O Palácio da Pena é o exemplo da arquitetura romântica em Portugal. No cimo de uma colina de verde e muitas vezes envolto em bruma, este foi o sonho de D. Fernando II e a herança que deixou à sua segunda mulher, a cantora de ópera Elise Hensler, condessa d’Edla. O palácio pode ser percorrido livremente ou em visita guiada, disponível em várias línguas e em diversos horários. Constituído por duas alas, de épocas diferentes, a edificação é uma sucessão de pequenas salas utilizadas pela família real até à data da implantação da República. O parque que rodeia o palácio contém espécies de plantas trazidas de todo o mundo, cujo crescimento é ajudado pelo clima húmido da serra.

Em toda a serra de Sintra, os caminhos são serpente- antes, densamente florestados e respira-se o ar mais puro das proximidades de Lisboa. O Castelo dos Mouros encima a serra, e a caminhada é longa desde o centro da vila, embora seja também possível chegar de carro. Todos os outros palácios e o centro são visíveis daqui. Boa forma de terminar o dia em Sintra, mas também de assimilar a história deste local, é visitar o Centro de Interpretação do Castelo dos Mouros. Aqui, é possível aprender sobre o passado remoto deste local, nomeadamente através do resultado das escavações arqueológicas levadas a cabo, onde se descobriu a sua ocupação desde o período neolítico.

Texto de Ana Leonor Soares
Fotos de Paulo Goulart