Passageiro Frequente – Pedro Pauleta

Nome: Pedro Pauleta

Profissão: Diretor da Federação Portuguesa de Futebol

Naturalidade: São Roque, Ilha de São Miguel, Açores

Idade: 46 anos

Açoriano, a viver em Lisboa, Pedro Pauleta tem os Açores no coração. Aliás, sempre levou com orgulho o nome dos Açores para todo o mundo, comemorando cada um dos seus golos de braços abertos, em alusão ao voo de um açor.

Pedro Pauleta ou o “Ciclone dos Açores”, como ficou conhecido durante a sua brilhante carreira como jogador de futebol pelo seu grande instinto goleador, pelo toque de bola habilidoso com ambos os pés, pelo impressionante jogo aéreo e excelente mobilidade, passando por clubes como o Desportivo de Coruña, o Bordéus ou o Paris Saint-Germain, o nosso “Passageiro Frequente” desta edição, não precisa de apresentações. Atualmente, Pedro Pauleta é Diretor da Federação Portuguesa de Futebol e embaixador do Paris Saint-Germain, tendo ainda uma escola de formação de futebol e uma fundação, a Fundação Pauleta, na ilha de São Miguel.

Com que frequência viaja para os Açores?
Estou a viver em Lisboa, mas vou muitas vezes aos Açores, principalmente nas épocas do Natal, da Páscoa e das férias de verão. Para além destas, vou cerca de uma vez por mês aos Açores.

Em que altura do ano gosta mais de ir aos Açores?
Gosto de ir aos Açores em qualquer altura do ano. Só tenho pena de não poder ir mais vezes.

Do que sente mais falta quando não está nos Açores?
Sinto falta da nossa Natureza, do nosso Mar, da nossa “comidinha”, das pessoas e da minha família. Se pudesse, estaria sempre nos Açores.

Para si, qual o programa perfeito para fazer nos Açores?
O programa perfeito é mesmo visitar todas as nossas ilhas. Quando estou em São Miguel, tento sempre aproveitar bem o dia para ver e rever as coisas lindas que temos na ilha, mas quando tenho possibilidade viajo também para outras ilhas dos Açores.

Qual foi o seu último destino internacional de viagem?
Foi Paris, onde estive em trabalho como embaixador do Paris SaintGermain.

O que não pode faltar na sua mala de viagem?
Há muitas coisas que não podem faltar, mas curiosamente o que tenho sempre na mala de viagem é um batom hidratante, porque o ar condicionado dos aviões seca muito os meus lábios.

Qual a sua viagem de sonho?
Viajar com a minha mulher e com os meus filhos, com a minha família, só por si já é uma viagem de sonho. E agora é óbvio que, vivendo outra vez fora, a minha viagem de sonho é sempre quando regresso a São Miguel.