Algarve em família

Desengane-se quem pensa que o Algarve é só para os veraneantes. Esta região atrai durante todo o ano pelo seu clima ameno, mas sobretudo pela quantidade e variedade de oferta turística: natureza, boa comida, animação. E a praia, sempre a praia. Areais a perder de vista, águas tépidas. Algumas praias consideradas das mais bonitas do mundo. A três horas de viagem de Lisboa, um mundo inteiro de opções se abre à nossa frente. Começando pelo lado oriental, mais conhecido por sotavento, e junto à fronteira com Espanha, Vila Real de Santo António estende-se na foz do rio Guadiana.

Clara e pacata, dá-nos as boas-vindas a esta região. A Reserva Natural do Sapal de Castro Marim fica logo a montante e é sobretudo conhecida pelas aves aquáticas. O seu símbolo é o pernilongo e, sendo área protegida, apenas é possível praticar atividades que respeitem a natureza, como a observação de aves, caminhadas, vela ou kayak.

As praias mais frequentadas da região do sotavento são as de Monte Gordo, Manta Rota e Tavira. Mar com pouca ondulação e extensos areais dão a segurança necessária às famílias com crianças para as deixarem chapinhar na água à vontade e fazerem os seus castelos de areia à sombra do guarda-sol.

2

A Ria Formosa une o sotavento e o barlavento algarvios com um sapal que, à semelhança do de Castro Marim, constitui uma área protegida. Algumas praias apenas são acessíveis por barco, como as das ilhas de Faro, Culatra e Armona. Todas estão equipadas com apoio de praia, mas não existem unidades hoteleiras nas ilhas. Os amantes dos desportos náuticos encontram na Marina de Vilamoura um local de paragem privilegiado, com mais de 800 pontos de amarração. Rodeada por um complexo habitacional composto por hotéis, apartamentos, restaurantes, bares e lojas, propicia um ambiente cosmopolita que, não raras vezes, se completa com animadas festas noturnas.

Caso se instale num dos muitos hotéis ou apartamentos de Albufeira, mesmo no centro do Algarve, pode programar várias atividades que farão as delícias de crianças e adultos e lhes aumentam o respeito pela natureza, como é o caso dos passeios num barco pirata ou as observações de golfinhos no Dolphins Driver ou mesmo no parque de diversões Zoomarine.

Entre Lagos e a Praia da Luz, os passeios de barco permitem apreciar o esplendor das esculturas feitas na rocha pelo vento e pelo mar. Um percurso que nos faz desvendar grutas e formações rochosas fascinantes, mescla das com surpreendentes cambiantes laranjas e azuis. Nesta cidade de Lagos vale a pena desfrutar do riquíssimo e bem preservado património cultural com vestígios da época em que os mouros aqui viveram, deixados nos restos da muralha, bem como da época dos descobrimentos: o Mercado de Escravos e a réplica de uma caravela quinhentista (a Boa Esperança), além de uma série de igrejas ricamente decoradas.

A região de Sagres é parte integrante do Parque Natural da Costa Vicentina e Sudoeste Alentejano. Praias ideais para quem valorize a tranquilidade num dos derradeiros pedaços de litoral selvagem da Europa, beneficiando da reduzida intervenção humana e da baixa densidade populacional. Com um clima um pouco mais agreste que no resto do Algarve e uma ondulação habitualmente forte, é escolhida pelos amantes de surf ou de parapente.

Vale a pena afastarmo-nos um pouco da zona costeira e contatar com um Algarve mais rural, na zona de transição entre o litoral e a serra: o barrocal. Tão aliciantes são os passeios pelos campos plantados com pomares de laranjeiras, amendoeiras, figueiras e alfarrobeiras, como as visitas aos pequenos povoados com casas caia- das de branco e chaminés rendilhadas que parecem perdidos no tempo.

Texto de Ana Leonor Soares